Empreendedor: tudo o que você precisa saber antes de abrir seu negócio

Publicado em: 08/05/2019

Tudo para por em prática o plano de abrir sua empresa

Tudo começa com um sonho, uma ideia. O sonho de um produto ou serviço revolucionário, o sonho de fazer diferente, de ser dono do próprio negócio. Que tal sair do mundo dos sonhos? Descer da nuvem e transformar essa ideia em uma empresa?

Qual o primeiro passo para tirar a ideia do papel? Nós vamos te dar o caminho das pedras!


1. Pesquisa de Mercado

2. Como captar clientes

3. Precisamos falar de marketing

4. Sócio. Sim ou Não?

5. Processos legais

1 – Pesquisa de Mercado

Antes de abrir uma empresa, seja ela qual for, em qualquer segmento, você precisa fazer uma pesquisa de mercado. A pesquisa de mercado vai te ajudar a responder questões básicas como: qual a viabilidade do seu negócio? Você tem o que precisa para tocar esse empreendimento? Existe público para esse negócio? Se sim, quem ele é? Qual o melhor local para abrir o seu negócio (caso ele seja físico), quanto você deve investir? Entre outros.

Mas como fazer uma pesquisa de mercado? Existem dois caminhos. O primeiro é o mais óbvio. Visite estabelecimentos semelhantes, converse com empresários do ramo, busque informações na internet. O segundo caminho é procurar pesquisas já prontas sobre o mercado. Existem empresas que trabalham nesse segmento e podem entregar essas informações para você.

Não se esqueça de analisar a concorrência, caso ela exista. Quais os pontos fortes e fracos dos concorrentes? Quais oportunidades e ameaças?

Caso o seu produto ou serviço ainda não esteja disponível no mercado é preciso avaliar para quem ele se destina. Quem será seu público-alvo? Sua persona? Existe espaço para você nesse mercado.

E quanto de investimento será necessário para viabilizar o seu negócio? Quais custos você terá?

Instituições como o Sebrae podem te ajudar  a responder essas e outras questões.

Documente essas informações. Elas irão te ajudar a montar um plano de negócio. O plano de negócio vai te ajudar a traçar uma estratégia palpável do seu futuro negócio. Definir seus objetivos e quais caminhos seguir para atingi-los.

2 – Como captar clientes

Para que o seu negócio dê certo você precisa de: CLIENTES, é claro! Mas como fazê-los chegar até você? Bom, se você fez sua pesquisa de mercado direitinho já tem meio caminho andado. Afinal, você já tem ideia de quem é seu público-alvo, onde ele está, quais produtos (concorrentes) eles consomem, e por aí  vai.

Com  posse dessas informações fica mais fácil traçar estratégias de captação. Que tipo de marketing você vai utilizar para atingir seus clientes? Offline, online? Onde você deve estar? Em eventos, feiras, rádio, televisão ou em redes sociais?

Conhecer bem o seu cliente em potencial é o primeiro passo para captá-lo. Crie relações verdadeiras. Foque no envolvimento e não na venda. Ofereça algo que só você tem a oferecer e conquiste seu cliente.

3 – Precisamos falar de marketing

Sim,  precisamos. Não importa se online ou offline. Seja em redes sociais, outdoor, feiras ou eventos. O marketing é o único caminho para se chegar até seus clientes.

Não, não estamos exagerando. Basicamente tudo o que você fizer para atrair o seu cliente é marketing. E mesmo que você não faça nada, mas preste um excelente serviço e seus clientes cheguem até você pelo boca-a-boca, por exemplo; sinto de informar, isso é marketing. Marketing de relacionamento. Por isso, o melhor que você tem a fazer é traçar uma boa estratégia de marketing para garantir que você vai atingir os seus clientes como, quando  e onde eles estiverem.

É verdade que o marketing evoluiu, e muito. Hoje existem inúmeras ferramentas que podem ajudar a divulgar a sua empresa de forma eficaz, assertiva e com menos custos. Investir em marketing é o primeiro passo para garantir o sucesso do seu negócio.

4 – Sócio. Sim ou Não?

Ter um sócio (ou mais) não é condição essencial para abrir uma empresa. Mas é importante levar em conta os benefícios de ter alguém para dividir lucros e problemas.

Ter um sócio pode ser relevante por exemplo, quando ele possuir capital ou conhecimento para tirar a empresa do papel. Claro que também existem alternativas para essas questões, empréstimos ou contratação de um consultor por exemplo, podem resolver esses problemas.

Lembre-se que a decisão sobre ter ou não um sócio deve considerar fatores objetivos e subjetivos que envolvem os interesses da empresa e as expectativas sobre o seu futuro. Afinal, muitas empresas acabam enfrentando sérios problemas por conta de desentendimentos e desgastes entre os sócios.

Uma boa dica é escolher alguém que não seja muito parecido com você ou sua forma de atuar. Isso pode ajudar a ter diferentes pontos de vista o que pode, no futuro, fortalecer a empresa.

Outra dica valiosa é tenha um contrato social. Com todas as questões (não só financeiras) estabelecidas e especificadas em papel fica mais fácil levar a sociedade a diante. A falta de definição sobre as funções dentro da sociedade, divisão de lucros, uso de bens da empresa e até a política de férias podem se transformar em uma espécie de bomba relógio, quando o acordo entre os sócios não é muito bem alinhado.

5 – Processos legais

Você chegou lá. Fez sua pesquisa de mercado, seu plano de negócios, pensou em estratégias de marketing e no tipo de empresa (se terá sócios ou não), agora é hora de dar início aos trâmites burocráticos.

O primeiro passo é ir até a prefeitura onde sua empresa será estabelecida para checar  os critérios de concessão do Alvará de Funcionamento para a sua atividade.

Depois disso você precisa do registro legal (algo como uma certidão de nascimento da sua empresa). O registro pode ser obtido na Junta Comercial do estado ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica. Para fazer o registro você vai precisar do Contrato Social e documentos pessoais de cada sócio (no caso de uma sociedade).

O Contrato Social é o documento mais importante da empresa. Ele deve ser assinado por um advogado (com exceção de micro e pequenas empresas) e conter:

  1. – Interesse das partes;
  2. – Objetivo da empresa;
  3. – Descrição do aspecto societário e a maneira de integralização das cotas.

Após esses passos, será possível prosseguir com o arquivamento do ato constitutivo da empresa. Depois de registrada a empresa você receberá um NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresa),que é uma etiqueta ou um carimbo, feito pela Junta Comercial ou Cartório, contendo um número que é fixado no ato constitutivo.

Com o NIRE em mãos, está na hora de obter o CNPJ. O registro do CNPJ é feito pela internet e para realizá-lo você precisa escolher a atividade que a empresa irá exercer. Essa classificação será utilizada na tributação e também na fiscalização das atividades da empresa. O ideal é que você tenha uma atividade principal e, no máximo, 14 secundárias.

Existem ainda documentos necessários de acordo com cada atividade exercida, como Inscrição Estadual, registro municipal, alvará dos bombeiros, entre outros.

Para essas e outras questões um bom contador pode te guiar e auxiliar nos trâmites legais.

Abrir uma empresa pode parecer um sonho distante, muitas vezes desafiador, mas com um pouco de pesquisa, determinação e a ajuda de profissionais qualificados você pode tirar seu sonho do papel.

A Razonet pode te ajudar a abrir sua empresa sem custos adicionais. Saiba mais!

Veja como ser um cliente Razonet


Ainda com dúvidas?

Veja aqui as principais perguntas e as respostas