Como calcular o ponto de equilíbrio da empresa


Você já parou para analisar a saúde financeira da sua empresa? Se você, assim como muitos empreendedores, quer atingir o ponto de equilíbrio essa é uma análise essencial para o seu negócio.

- Ah, mas se eu obter lucro já estou satisfeito.

Mas será que você está mesmo obtendo lucro? Continue a leitura!

O que é e porque analisar o ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é um cálculo simples que indica qual é o faturamento mínimo que a empresa precisa atingir para cobrir todos os gastos.

Por meio deste cálculo é possível realizar a tomada de decisão, entender a viabilidade do negócio, ajudar com a precificação dos produtos, identificar se a empresa está lucrando muito, pouco ou se está no prejuízo.

Custos e despesas da empresa

Antes de calcular o ponto do equilíbrio precisamos entender alguns itens que fazem parte deste cálculo. Lembra de quando falamos sobre a diferença entre custos e despesas? Clique aqui para ler o conteúdo!

Os custos e despesas fixas são aqueles valores pagos pela empresa que precisam ser desembolsados todo mês, independente do volume de vendas ou produção da empresa.

Por exemplo, se uma loja de informática vender 1 computador ou vender 50, vai ter uma conta de luz para pagar no fim do mês, não vai?

A mesma situação vale para os salários: mesmo que você não venda nada, terá que pagar os seus funcionários.

Os custos e despesas fixas são, então, todos aqueles desembolsos que a empresa obrigatoriamente tem todos os meses, independente das suas vendas. Outros exemplos além da energia elétrica e dos salários, são a conta de água e o aluguel.

Vamos utilizar o exemplo de uma loja de informática, que possui os seguintes custos e despesas fixos:

Para que você entenda melhor vamos separar os custos e despesas fixas. O custos fixos são:

- Conta de Luz: R$ 800,00

- Salários: R$ 6.000,00

Totalizando R$ 6.800,00 de custos fixos

As despesas fixas são:

- Conta de água: R$ 150,00

- Aluguel: R$ 2.500,00

Totalizando R$ 2.650,00 de despesas fixas

os custos e despesas variáveis são os valores pagos pela empresa, que variam conforme a quantidade de vendas ou produção.

Ainda no exemplo da loja de informática, a compra das mercadorias que você faz depende do quanto você vende, não é?

Então a compra de mercadorias é um custo variável. O que você gasta com publicidade para vender, também varia conforme a quantidade de vendas, então a publicidade é uma despesa variável.

Vamos utilizar no nosso exemplo os seguintes valores de custos e despesas variáveis:

Então a despesa variável da empresa é a compra da mercadoria para revenda de R$ 5.000,00 e o custo variável é a campanha de marketing, sendo R$ 3.000,00. 

Entendendo o que são os custos e despesas fixos e variáveis, vamos partir para o cálculo da margem de contribuição da empresa.

Margem de contribuição da empresa: como calcular

A margem de contribuição é o quanto sobra para a empresa pagar as despesas fixas.

Para fazer este cálculo, precisamos diminuir as despesas variáveis da empresa do total de vendas que ela apresenta no período. A fórmula é a seguinte:

Parece difícil, mas o cálculo em si é bem simples: A margem de contribuição é igual às vendas menos os custos e despesas variáveis.

Vamos fazer o cálculo utilizando os valores do nosso exemplo da loja de informática.

Se a loja de informática vende 60 kits para computadores por mês a 300,00 cada, fatura R$ 18.000,00 no mês.

A margem de contribuição desta empresa é de R$ 10.000,00, ou seja, é o que sobra das vendas menos os custos e despesas variáveis para que ela consiga arcar com seus custos e despesas fixos.

Calculando isto em percentual, dividimos a M.C pelo total de vendas da empresa, e temos 55,56% de margem de contribuição. Veja o cálculo abaixo:

Como calcular o ponto de equilíbrio

Muito bem, agora que já sabemos qual é a margem de contribuição, vamos partir para o cálculo do ponto de equilíbrio.

O ponto de equilíbrio é, simplesmente, o quanto a empresa precisa vender para ficar no 0 a 0. Ou seja, sem lucro nem prejuízo.

E ao atingir o ponto de equilíbrio, o que ela vender a mais é lucro. Para fazer o cálculo, utilizamos a seguinte fórmula:

Isso significa que eu preciso vender no mínimo R$ 17.010,00 para arcar com todos os meus custos e despesas fixos e variáveis.

Para saber, em quantidade, quanto preciso vender, posso pegar estes R$ 17.010,00 e dividir pelo meu preço de venda unitário, ou seja, R$ 300,00, e temos 57 unidades. Veja abaixo:

Então, para conseguir arcar com toda a operação, a empresa de informática precisa vender no mínimo 57 unidades por mês a R$ 300,00 cada uma.

O que ela vender além destas 57 unidades, é o lucro que ela irá apresentar. (:

Se a sua dúvida for sobre contabilidade, entre em contato com a nossa equipe! 

Deixe um comentário